Menu

MENSAGEM DE PAZ

Entrevista com o Pastor Luis Ángel Díaz-Pabón Autor da Bíblia do Pescador

30 JUL 2014
30 de Julho de 2014

Autor da Bíblia do Pescador fala sobre lançamento da obra no Brasil e ministério pastoral

Entrevista com o Pastor Luis Ángel Díaz-Pabón

Pastor Díaz-Pabón é presidente da Sociedade Missionária Global e dirige vários ministérios, dentre eles a Igreja Capela do Rei (Iglesia Capilla  Del Rei – _ e King’s Chapel), em Miami, Flórida, Estados Unidos. Também é autor de um best-seller no mercado evangélico latino, a “Bíblia do Pescador”, a ser lançada em português pela CPAD no próximo mês. Ele nasceu em uma família cristã, mas reconheceu a Cristo como seu Salvador aos 15 anos. Posteriormente, ele começou, no ano  de 1973, um profícuo ministério como evangelista em Porto Rico. Suas cruzadas evangelísticas pela América Latina chegaram a levar às ruas mais de 60 mil pessoas em uma única noite. Milhares de vidas  renderam-se a Cristo nesses eventos.  
Nesta entrevista, exclusiva concedida ao Mensageiro da Paz, com o apoio da Rede Brasil de Comunicação da AD no Pernambuco, o pastor fala sobre seu encontro com Jesus,  sua passagem pelo Brasil no mês  de junho, lançamento da obra de  sua autoria e ministério pastoral.  

Como se deu a sua conversão  e chamada ministerial?  
Eu nasci em um ambiente cristão,  em meio a uma família que  ia a igreja. Eu me congrego desde  criança. Isso não signifi ca que fosse  salvo, isso signifi ca que eu tinha  uma religião. Porém, foi aos 15 anos  que eu tive minha experiência de  conversão. Conhecei a Jesus justamente  lendo uma Bíblia. Quando  estava lendo o Evangelho de João e cheguei ao capítulo fui impactado por Deus ao descobrir que Jesus  disse ali que iria para a casa do Seu Pai preparar um lugar para mim. Ai eu decidi e disse a Jesus: eu quero morar contigo na casa do Teu Pai. Então eu entreguei meu coração  a Cristo, e de imediato comecei a ganhar almas. No outro dia eu estava testificando para todo mundo  que Jesus Cristo era o Senhor que queria salvá-los. A partir dali, me converti e me tornei um ganhador  de almas até o dia de hoje.  

O que é a Bíblia do Pescador?  
A “Bíblia do Pescador” é uma ferramenta prática para qualquer cristão que deseja dar testemunho de Jesus Cristo. É uma ferramenta exclusivamente para evangelizadores, porque nela você vai encontrar respostas e versículos da Bíblia adequados  para quase qualquer situação  de evangelização, para auxiliar os evangelizadores a ganharem vidas para Cristo.  

O que o motivou escrever a  Bíblia do Pescador?  
A motivação para escrever a Bíblia do Pescador surgiu precisamente  da minha experiência como  evangelista. Pois depois que me converti comecei a ganhar almas e anos mais tarde o Senhor me enviou ao campo missionário. A experiência diária de conversas com pastores e ver o trabalho deles, vi a necessidade que existia no meio  da igreja de um instrumento por meio do qual os irmãos pudessem compartilhar o Evangelho. Assim surgiu no meu coração a ideia de trabalhar nesse projeto. No início da ideia ocorreu no país de Costa Rica. Eu estava pregando em uma cruzada evangelística na rua. Foi ali onde sai para comprar uma Bíblia, e chegando a uma livraria procurei uma que me ajudasse no meu trabalho evangelístico. Ao buscar eu descobri que não havia uma.  Porém a mulher que me atendeu me fez a seguinte pergunta: “o que  deve ter uma Bíblia como esta que o senhor procura? Na verdade eu  não sabia o que deveria ter. Aquela pergunta ficou gravada em minha mente. Naquela noite eu tive que me levantar para escrever as ideias que vinham na minha mente. A primeira coisa que escrevi foi a pergunta: “O que deve ter uma Bíblia para evangelizar?” Eu comecei  na mesma noite a respondê-la. A primeira resposta foi: ela deve ter uma seção de apologética. Existiam muitas religiões que eu conhecia: Mórmons, Testemunhas de Jeová, Espíritas, Budistas, Maometanos... Então fui escrevendo o nome de  cada religião e suas respectivas doutrinas. Fui preparando um estudo bíblico para responder essas doutrinas e contestá-las com versículos  específicos. Quando me dei conta eu já tinha seis seções: aconselhamento, apologética, evangelismo,  doutrinas cristãs, igreja e devocional.  

Conte-nos uma experiência  marcante vivida pelo senhor  durante o processo de produção  da Bíblia do Pescador.  
O processo de produção da  Bíblia do Pescador foi extenso. Dediquei 27 anos da minha vida a este trabalho. Houve alguns momentos  extenuantes. Em alguns momentos pensei que não conseguiria  seguir adiante. Toda vez que isso  acontecia, Deus se encarregou, de  alguma maneira, de fazer chegar a  minha vida uma palavra específi ca  que me abria os olhos. Às vezes  eu estava com uma pergunta que  não conseguia responder, mas ao despertar, Deus havia trabalhado  na minha mente durante a noite. Pois de manhã tudo estava claro.  Novas ideias surgiam. A cada país que ia, Deus me esperava com uma palavra. Foram muitas as palavras, em distintos países. Gente que não  sabia que eu estava trabalhando  nesse projeto. Gente que não tinha  nenhuma informação vinha falar  comigo sobre esse projeto em qual eu estava trabalhando. Eu sabia que Deus estava me animando, me impulsionando  para não abandoná-lo.  

Quais são as suas expectativas para o lançamento da Bíblia  do Pescador em português pela  CPAD no Brasil?  
As Bíblias regularmente saem primeiro em inglês, logo se traduzem ao português, ao espanhol e a todos os demais idiomas possíveis. A Bíblia do Pescador inverteu esse processo. Não a lançamos primeiro em inglês. Primeiro ela foi lançada  em espanhol e agora em português. Isso me emociona, pois essa Bíblia não surgiu em outro continente, foi aqui, no continente latino americano. Eu espero que a Bíblia do Pescador tenha um impacto histórico. Ela chega numa conjuntura especial,  uma conjuntura histórica, em um  tempo especial; quando a igreja no  Brasil está em pleno crescimento, me parece que ela vai se converter em um instrumento formidável para continuar o que Deus está  fazendo. Essa obra vai impulsionar a evangelização neste bendito país.  

Em sua opinião, quais as  maiores difi culdades enfrentadas para a divulgação do Evangelho no mundo?  
A experiência durante esses anos de ministério, viajando e conversando com pastores, eu escuto as mesmas queixas e as mesmas preocupações em todos os países do mundo. A igreja parece ter dificuldade em criar hábitos espirituais, hábitos de oração permanente, de leitura da Bíblia permanente, de evangelismo permanente. O que estamos fazendo neste processo é discutindo como podemos criar esses hábitos na vida de cada crente. A vida da igreja seria transformada em sua totalidade se cada crente se comprometer com um pouco de tempo a cada dia e se dedicar a Bíblia. Se cada crente ler a Bíblia pelo menos por cinco minutos diários, a vida dele caminharia, a vida da  sua família caminharia, a vida da sociedade inteira seria impactada por essa experiência.

Como o senhor avalia o ensino  cristão no Brasil?  
Eu estou impressionado, pois  esta é a minha primeira vez no  Brasil. Impressiona-me a maneira  que os pastores falam de Escola Dominical, falam de estudos bíblicos, falam de ensinar a Bíblia.  No Brasil há uma comunidade cristã comprometida com as Sagradas Escrituras e isso é algo que  se destaca do que tenho visto em muitos outros países. Eu me sinto contente em poder parabenizar os pastores brasileiros. No obstante, vivemos a mesma ameaça que em outros lugares. A ameaça de que o povo vá gradualmente se desconectando das Sagradas Escrituras. Que o Brasil não perca este maravilhoso compromisso que tem com a Bíblia. Compromisso com a Bíblia é garantia de maturidade, é garantia de crescimento, é garantia  de perseverança.  

Deixe uma palavra para os  crentes e lideranças das Assembleias  de Deus no Brasil. 
Minha experiência nesse primeiro  contato com os irmãos aqui  no Brasil foi fascinante. Vi uma liderança vibrante, dedicada e comprometida nas Assembleias de Deus. Realmente estou impressionado. Tenho que dizer a essa liderança  para seguir adiante e ter ânimo. Pois o que vocês estão fazendo é pelo futuro dessa nação e esse futuro depende de vocês. Sigam adiante!

Voltar